26 de abril de 2018 - 14:34

? ºC Cuiabá - MT

Publicidade

Banner sicredi

Policia

13/04/2018 11:45

Empresário acusado de golpe de R$ 50 mi em MT é acusado de comprar carro com cheque sem fundo

O empresário Walter Magalhães Dias Júnior- réu na operação “Castelo de Areia”, que apura a atuação de uma quadrilha que praticava crimes contra o sistema financeiro responsável por golpes de R$ 50 milhões -, teria comprado uma Cherokee no valor de R$ 88 mil com um cheque sem fundo. N.M.S.J., que alega ser o verdadeiro proprietário do veículo, pede na Justiça a restituição do bem, bloqueado na deflagração da operação, em 2016, realizada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO).

Numa decisão do dia 26 de março de 2018, a juíza aposentada Selma Rosane Santos Arruda, num dos últimos atos antes de deixar a magistratura, negou a anulação dos atos processuais posteriores a ausência de intimação da defesa de N.M.S.J. para avaliar o laudo pericial do veículo – que pode atestar o valor de mercado a ser cobrado em eventual leilão do bem. Para que os advogados do suposto proprietário não alegassem “cerceamento de defesa”, a juíza deu prazo de cinco dias para apresentação de manifestação quanto ao laudo pericial.

“Compulsando os autos, tenho que a ausência da intimação a defesa do Requerente não causou nenhum prejuízo, eis que até a presente data o bem não foi levado a leilão. Assim, não há motivos para que os atos processuais posteriores à referida decisão sejam declarados nulos. Contudo, para evitar qualquer futura alegação de cerceamento de defesa, intime-se a defesa da decisão, bem como para se manifestar sobre o laudo de avaliação, no prazo de 05 dias”, diz trecho do despacho.

De acordo com informações dos autos, Walter Magalhães Dias Junior nega que o veículo não seja de sua propriedade. Ele disse que repassou uma caminhonete S-10 ao antigo dono da Cherokee na negociação e também pede a restituição do veículo. Os autos continuam a tramitar na 7ª Vara Criminal.

CASTELO DE AREIA

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) denunciou oito pessoas por crimes financeiros, que teriam se iniciado em 2012 e ocorridos até a época do oferecimento das investigações para análise da justiça, em setembro de 2016.

Foram denunciados o ex-vereador João Emanuel Moreira Lima, o  juiz aposentado e pai do ex-membro da Câmara de Cuiabá, Irênio Lima Fernandes, os empresários Walter Dias Magalhães Júnior, Shirlei Aparecida Matsouka Arrabal e Marcelo de Melo Costa, o advogado e irmão de João Emanuel,Lázaro Roberto Moreira Lima, o contador Evandro José Goulart, e o comerciante Mauro Chen Guo Quin.

Segundo a denúncia, os acusados praticaram golpes milionários por intermédio das empresas American Business Corporation Shares Brasil Ltda e Soy Group Holdin America Ltda, cujo vice-presidente era João Emanuel.

De acordo com o MP-MT, que aponta crimes financeiros no montante de R$ 50 milhões, a liderança da organização era exercida por Walter Dias Magalhães Júnior, que utilizava até mesmo um “chinês falso” para dar credibilidade a investimentos de alta rentabilidade exigidos de clientes, que nunca retornavam, conforme trecho extraído do inquérito policial do Gaeco.

“Para dar aparência de negócio lícito e seguro, a organização criminosa ainda contava com o auxílio do chinês Mauro Chen Guo Qin, que se apresentava como dono de um banco estrangeiro, e atuava diretamente na tratativa dos empréstimos fraudulentos. Por sua vez, Evandro José Goulart e Marcelo de Melo Costa participavam também ativamente na captação de vítimas e tratativas dos empréstimos fraudulentos”.


Banner sicrediBanner sicrediBanner sicredi

Historia do Jornal O Estado!!

O jornal O Estado e um jornal impresso que circula em mato grosso desde 2001 com objetivo de levar informações e noticias para nossos leitores de mato grosso

O Estado

Avenida Rubens de Mendonça 2478,
Av. CPA, Edifício Cuiabá Center.

Redes Sociais

Todos os Direitos Reservados para O Estado

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo